• 678
  • 1
  • 1
  • 0

Mãe cria dispositivo médico para ajudar filhos que sofrem de doença falciforme

Partilhado por JoanaSaraiva a 19/08/2019 - 15:37

Sobre a solução

Abi Huskins, que é enfermeira, e o seu marido, que é médico, participaram numa parceria de treinamento médico no Quénia, e acabaram por voltar para casa, nos EUA, com dois filhos gémeos adotados, Ivan e Ian, que tinham apenas seis anos meses de idade.

A princípio, Abi pensou que Ivan e Ian estavam muito subnutridos, mas logo percebeu que o problema era maior do que isso. Os seus filhos mantinham baixos níveis de hemoglobina, uma proteína encontrada nas células do sangue que transporta oxigénio. Ela então testou para a doença falciforme (SCD), que veio positiva. A SCD pode causar bloqueios do fluxo sanguíneo em diferentes partes do corpo, e a cura só é alcançada através de um transplante de medula óssea. Como é difícil encontrar um dador compatível, muitas crianças com anemia falciforme acabam tendo que receber transfusões de sangue frequentes.

Um dia, Abi percebeu que o curativo usado para segurar a agulha de transfusão dos seus filhos não era bom o suficiente. Ao contrário das agulhas inseridas num ângulo, que têm um curativo transparente, as agulhas retas impedem curativos similares e fazem com que os profissionais de saúde tenham que improvisar. O curativo usado nela foi feito de camadas de gaze e fita para segurar a agulha no lugar, o que não permite a fácil visualização de possíveis vermelhidões ou infecções na pele dos seus filhos.

"O curativo era tão primitivo que me incomodou", disse Abi. “Como as empresas portuárias inventaram um porto sem um curativo adequado?”

Foi quando Abi decidiu criar um curativo melhor para a porta da transfusão. Ela criou o dispositivo Guard-A-Port. É uma porta transparente projetada para doentes com anemia falciforme que precisam de transfusões sanguíneas crônicas, como seus filhos.

 “Eu nunca me considerei uma inovadora. Eu fiz isso porque sou apaixonada pelo meu filho”, explicou Abi. "Senti a responsabilidade de usar minha formação em enfermagem para fazer algo para doentes que talvez não saibam qual deve ser o padrão de atendimento".

Depois de conversar com o diretor de Acelerador de Inovação de Cuidados Clínicos do Instituto de Ciências Clínicas e Translacionais de Indiana, Jonathan Merrell, ela entrou em contacto e trabalhou com uma equipa de estudantes de engenharia, criou um produto utilizável do seu protótipo inicial. "Eu não queria esperar meses para desenvolver isso. Precisamos dessa invenção ontem”, explicou Abi. “Trabalhamos com uma equipa de estudantes de engenharia que lidou com a ideia e criou um produto utilizável em algumas semanas.”

Agora Abi quer que a sua solução ajude outras pessoas. "Eu originalmente queria levar este produto para os meus filhos usarem, mas agora, enquanto os meus filhos estão curados, eu realmente quero esse produto para ajudar outros doentes", disse Abi.

Adaptado de: http://bit.ly/2HgGYSm

Esta solução não deverá mencionar o uso de drogas, químicas ou biológicas (incluíndo alimentos); dispositivos invasivos; conteúdo ofensivo, comercial ou inerentemente perigoso. Esta solução não foi validada medicamente. Prosseguir com atenção! Em caso de dúvidas, por favor consulte um profissional de saúde.

Sobre o autor

Abi Huskins, de Indiana, EUA, criou um novo curativo para a porta de agulhas para transfusão de sangue, para ajudar os seus filhos que sofrem de doença falciforme.

Gostar da solução
Fechar pt
Fechar