• 2715
  • 3
  • 4
  • 0

Doente inventa sistema de automação para casa

Partilhado por Ana Duarte a 04/04/2017 - 11:12

Sobre a solução

O sistema PEAC usa um sinal sem fio que permite que os seus utilizadores executar tarefas de casa, como abrir e fechar portas, chamar um elevador, e operar a televisão e as luzes. Eles podem realizar estas tarefas com pequenos movimentos dos seus olhos - ou, para alguns doentes, usando ondas cerebrais.

Quando Steve foi diagnosticado, em 2006, os médicos disseram que ele tinha entre três a cinco anos de vida. O doente não estava disposto a aceitar isso, então começou a pesquisar as suas opções para determinar a melhor abordagem para viver melhor com a sua condição incurável.

"Desde o início, eu estava determinado em viver mais 38 anos", explica o arquiteto.

Quando começou a sua pesquisa por soluções, depois de perceber que não poderia encontrar uma cura, mas podia descobrir como melhorar a sua qualidade de vida, apesar da sua doença, ele conheceu outros doentes com ELA. Steve percebeu que muitos desses doentes tinham atendimento domiciliar por 24 horas ou estavam confinados a camas em lares de idosos, com contato extremamente limitado com outras pessoas.

"A nossa sociedade trata os presos com mais dignidade e respeito que as pessoas com problemas crónicos, que são mantidos vivos, mas sem vida. Eu sabia que eu tinha de trabalhar rapidamente para evitar o seu destino", disse o inventor.

Steve conheceu Barry Berman, o CEO da Chelsea Jewish Foundation, uma instituição de vida assistida em Massachusetts. Berman estava a desenvolver um novo tipo de lar de idosos que ele chamou de uma GreenHouse, especializados no tratamento de jovens com deficiências físicas, em especial ELA e Esclerose Múltipla.

Com uma bolsa de US $ 500.000 providenciada por Berman, o arquiteto começou a desenhar um sistema de automação eletrónica - PEAC - com o objetivo de criar uma residência para que estes doentes se sintam em casa, capacitando os doentes, tornando-os mais independentes. O sistema permite que os doentes com ELA controlem o seu ambiente nos movimentos centro de vida assistida, tais como piscar o olho e espasmos faciais. Eles podem abrir e fechar portas, ligar e desligar luzes, mudar o canal da TV e controlar o calor e ar condicionado, entre outras coisas.

O Steve Saling ALS Residence abriu em Chelsea em fevereiro de 2010, o primeiro espaço de cuidados de longo prazo projetado para pessoas com esta doença. Os doentes podem circular ao redor da residência por si mesmos e ter visitantes.

"Não cometa o erro que todos os meus médicos fizeram e assumir que, porque eu sou 100% dependente do cuidado dos outros para o resto da minha vida, que eu não tenho uma qualidade de vida. Eu não posso imaginar-me a aproveitar a vida mais”, Steve observou.

Adaptado de: http://cnn.it/2nEJVAD

Mais informações: http://www.alsri.org
https://youtu.be/4eAdgUm_-38

Esta solução não deverá mencionar o uso de drogas, químicas ou biológicas (incluíndo alimentos); dispositivos invasivos; conteúdo ofensivo, comercial ou inerentemente perigoso. Esta solução não foi validada medicamente. Prosseguir com atenção! Em caso de dúvidas, por favor consulte um profissional de saúde.

Sobre o autor

Steve Saling, nascido nos EUA, em 1968, é um arquiteto que foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) em 2006. Ele construiu um sistema de automação eletrónica chamada Promixis Environment Automation Controller (PEAC), um sistema de automatização de casa para ajudá-lo em torno a executar tarefas em casa, porque ele queria viver uma vida mais independente.

Gostar da solução
Fechar pt
Fechar