• 2240
  • 0
  • 0
  • 0

Menina diabética cria banda desenhada para ajudar outros doentes a entender a doença

Partilhado por Ana Duarte a 09/02/2018 - 11:35

Sobre a solução

"A única pista que eu tinha acerca de saber por que estava no hospital era um livro grosso e pesado que estava pousado na minha mesinha de cabeceira chamado "Pink Panther's Guide to Understanding Type 1 Diabetes", explicou a menina.

Lohitha não tinha ideia do que estava a acontecer no seu corpo e sentia-se responsável por ter desenvolvido diabetes. O seu médico desenhou um pâncreas para explicar como a doença funciona, mas a doente não conseguiu entender por que precisava de tomar tantos medicamentos. Para além disso sentiu que o livro que recebeu era muito técnico, especialmente para crianças.

"Era suposto ser amigável para crianças, mas é apenas um monte de texto e números. É realmente útil para os seus pais saberem o que fazer quando ainda não pode cuidar de si mesmo numa uma idade jovem", disse a inventora.

Assim, em 2017, Lohitha desenvolveu uma banda desenhada que permite que as crianças diabéticas tenham mais acesso a informações mais divertidas e confiáveis ​​do que o livro que recebeu, para que possam entender melhor as suas condições.

Depois de fazer alguma pesquisa, a estudante inventou uma banda desenhada que conta a história de uma heroína, Kaci, uma menina afro-americana de 10 anos que acaba de ser diagnosticada com diabetes tipo 1. Ela teve a ajuda de um professor para que pudesse ter certeza de que o livro apresentava com precisão a fisiologia de diabetes tipo 1.

O objetivo de Lohitha é distribuir esta invenção pelos escritórios dos pediatras. Ela quer testar a sua eficácia ao fazer inquéritos a crianças diabéticas no Hospital Infantil de Richmond da VCU e a estudantes nas Escolas Públicas de Richmond. Para fazer isso está explorando opções de impressão baratas para que a banda desenhada possa estar disponível para o maior número possível de crianças.

"Demorei anos até entender a natureza bioquímica e fisiológica da doença. Espero que qualquer criança diagnosticada com diabetes no futuro não tenha de passar pela solidão e a confusão que fiz", observou a menina.

Adaptado de: http://bit.ly/2H315SC

Mais informações: http://bit.ly/2EbQ9nP

Esta solução não deverá mencionar o uso de drogas, químicas ou biológicas (incluíndo alimentos); dispositivos invasivos; conteúdo ofensivo, comercial ou inerentemente perigoso. Esta solução não foi validada medicamente. Prosseguir com atenção! Em caso de dúvidas, por favor consulte um profissional de saúde.

Sobre o autor

Lohitha Kethu, nascida em 1997, mora nos EUA e é estudante do Programa de Artes de Comunicação na Escola de Artes da Virginia Commonwealth University (VCU). Quando ela tinha 10 anos foi diagnosticada com diabetes tipo 1. Lohita criou uma banda desenhada para ajudar as crianças a adaptar-se à vida pós-diagnóstico porque o livro que ela recebeu no hospital não foi útil.

Gostar da solução
Fechar pt
Fechar